A REVISTA DA MULHER


Como criar filhos sem medos na Revista da Mulher

A REVISTA DA MULHER. Vacinação infantil: pais ainda ficam inseguros sobre a imunização dos filhos


Livro reúne orientações esclarecedoras a respeito dos mitos e verdades em torno da vacinação infantil

"Em Como criar filhos sem medos: um guia para mães, pais, cuidadores e profissionais de vacinação (Editora Hyria) Maria Cristina Martins Alvarenga trata de alguns mitos e verdades sobre a vacinação e o procedimento de vacinação, em si. 

A publicação esclarece desde dúvidas simples, como se profissional que administra a vacina deve ou não usar luva ou se os frascos multidose precisam ser abertos na frente dos pais, até questões complexas, como a associação entre o autismo e a vacina tríplice viral, considerada por muitos como a mais grave fraude da área médica."


Ler a matéria completa no site A Revista da Mulher

Das vindimas no Douro ao Rio de Janeiro, resenha de Simone Bitar

"Confesso que tenho um pé atrás com romances. Até gosto, mas fujo de histórias muito melosas, pois prefiro leituras com muita emoção e desdobramentos repentinos... Mas Das Vindimas do Douro ao Rio de Janeiro me conquistou!" Simone Bittar




Ler a resenha completa de Simone Bitar no blogue Recanto das Borboletas

Resenha de Letícia Santos do Bella Página

"O filho da rainha foi batizado de Floris e a filha da serva de Brancaflor, os dois cresceram juntos, com uma bonita amizade que logo se tornou em um grande amor, mas algo os impedia de viver aquele amor, pois tinham religiões diferentes, e pela tradição Floris teria que se casar com uma donzela que seja muçulmana..."

Leia a resenha completa de Letícia Santos no blogue Bella Página

Deu no Estadão: Novo livro incentiva crianças a deixarem celulares de lado




A prática já virou algo comum: basta um momento importante acontecer para as pessoas sacarem os celulares para fotografarem e filmarem o momento e relembrarem depois. Entretanto, na hora do acontecimento, poucos conseguem vivenciar o momento com seus próprios olhos e pequenos detalhes acabam passando despercebidos. Ao notar esse padrão de comportamento, a escritora Vivian Saad e a editora Giovanna Rodrigues decidiram lançar o livro infantil Estevão, o (des)conectado...

"Novo livro incentiva criança a deixarem celulares de lado", Por Matheus Mans - O Estado de S.Paulo





Floris e Brancaflor, por Rackel

O livro mostra as diferenças de crenças de forma muito simples e pratica, ao ler vi que na "vida real" de fato seria um pouco diferente. Mas esse detalhe não muda o quanto adorei a leitura, tão curta que você lê em menos de uma hora, muito prazerosa e linda. Aborda também algo que creio eu, ainda acontece nos dias atuais que é a venda de pessoas e desentendimentos por diferenças religiosas.
Nos ensina que o amor e a fé, seja qual for, pode sim mudar nosso destino e até mesmo nos livrar de situações nada favoráveis.
A narrativa é rápida e fluida, sem enrolações e bem objetiva. Achei maravilhoso isso ♥️

Ler a resenha completa em http://blogliterariodois.blogspot.com.br/2016/09/resenha-floris-e-brancaflor.html?m=1

Floris e Brancaflor, por Simone Bitar

Uma história recontada pela autora Thais Linhares com misturas nada convencionais, mas que nos encanta a cada parágrafo.

O nascimento de duas crianças, um menino príncipe muçulmano e uma menina (filha da dama de companhia cristã) dá início ao desenvolvimento de toda trama. Eles crescem juntos e descobrem uma amizade verdadeira, que mais tarde dá lugar ao amor.

Mas, o Emir, o pai do príncipe quer que o filho...

Ler resenha complete no Blogue Recanto das Borboletas 

Das vindimas no Douro ao Rio de Janeiro, de Ana Mariano de Carvalho


Oradores convidados:
Dr. António Carrelhas
Dr. António Pargana
Presença do Cônsul Geral de Portugal

DAS VINDIMAS NO DOURO AO
RIO DE JANEIRO
Ana Mariano de Carvalho

19 de outubro de 2016 (quarta-feira)
Horário: 19h
Local: Consulado Geral de Portugal
Rua Canadá, 324 - Jardim América
São Paulo - SP
estacionamento no local (pago)
Aproveite a oportunidade para visitar a exposição de livros raros portugueses no Consulado Geral de Portugal


Em 1930 os jovens Bento e Maurício trabalhavam em uma vindima no Douro. Num fim de tarde Bento encontra a filha do dono da quinta, Amélia, que será para sempre o seu ideal de beleza, feminilidade, amor e paixão.

Os dois rapazes são pobres e com o sonho de procurar uma nova vida decidem partir para o Brasil, onde Maurício tem um tio que fez fortuna e não tem descendentes.

Lalu e Tina são duas garotas que vivem numa casa de prostituição, onde durante o dia impera a miséria disfarçada e à noite reina o brilho, a beleza fácil, o prazer e as luzes que fazem esquecer a vida e uma realização falhada. Até que um dia são surpreendidas pelo testamento da dona da casa, tia Angelina.

No Brasil, onde todas essas personagens e muitas outras vão se encontrar, com muito trabalho e perseverança, os dois rapazes tornam-se empresários cada vez mais bem-sucedidos, onde tudo é possível…

Por motivos políticos o pai de Amélia vai trabalhar como médico no novo Hospital da Beneficência Portuguesa e traz consigo a família, que frequenta a alta sociedade do Rio de Janeiro.

Lalu e Tina conquistam o seu lugar numa nova sociedade e, esquecendo o seu passado, abrem uma casa de modas onde são procuradas pelo seu bom gosto por todas as senhoras do Rio de Janeiro…

Entre muitos amores e paixões, enganos e frustrações, a vida evolui e traz o nascimento e a morte, a fé em Nossa Senhora de Fátima, inabalável nos portugueses e uma certeza absoluta: a emigração de todos os jovens que chegaram ao Brasil nesse período foi uma emigração brilhante, baseada em muito trabalho, conquistas, reconhecimento e amor à pátria que os acolheu.

Redação científica moderna, resenha no blogue Pena Pensante

"Muitos já tem uma opinião formada sobre as obras desse gênero, e imaginam-as como entediantes e cansativas, todavia, é válido lembrar de que na ciência, o pesquisador também pode voar, assim como o livro nos ensina: esquivar-se de determinadas amarras acadêmicas para ser original e evitar a fossilização do texto. [...] Minha experiência com a obra foi extremamente agradável pois pude perceber o lado dinâmico e flexível das redações científicas e, sem dúvida, me ajudará, também, no aperfeiçoamento dos artigos escritos no Pena Pensante, mesmo não sendo científicos, afinal, como diz o autor em seu livro, os maiores mestres de redação sempre recomendam  a leitura, seja para um recomeço com mais luz, ou para florescer o talento! A leitura liberta e contribui para o homem interrogar-se sobre o sentido do mundo."

Ler a resenha completa de Filipe Penasso no blogue Pena Pensante